miércoles, 15 de mayo de 2013

Juan Sánchez, dibujante mítico

El folklorismo penibético está presente en este dibujo, La Kakaruka, hecho con tinta de Bic sobre cartón de tarta, una obra a medio camino entre el diseño de camisetas y los monstruos míticos granadinos.


La Kakaruka

Sole Sánchez, del jardín al óleo.

Cuando se encuentra una vía dentro del competitivo mundo del arte, la inspiración y la determinación son fundamentales.


Carlota Conde, promesa infantil.

Atención a estos garabatos, que serán valiosos -eso esperamos todos- en unos años. No le perdamos la pista a esta joya del dibujo impromptu.


lunes, 13 de mayo de 2013

Glecy Fagundes y Alberto Sánchez, pedagogos bilingües

La lengua portuguesa, nos llega desde lo más hondo de Carabanchel.

Meu nome é Isadora, sou brasileira e dentro de pouco mais de sete meses completarei quarenta anos. Até agora obtive da vida tudo aquilo que razoavelmente se pode esperar dela. Tive uma infância feliz, uma adolescência moderadamente problemática, uma juventude convencionalmente rebelde e agora alcancei a maturidade estável, o sonho dos justos, ou melhor, marido, trabalho e filhos. Para mim, o tempo já pode decorrer na segurança do bem estar, do imutável bem estar que proporciona saber que um dia perfeito será seguido por uma sucessão de dias perfeitos. Nunca havia tido um desequilíbrio emocional em minha vida. Em cada momento fiz o que correspondia e o resultado foi sempre o esperado. Não sofri a angústia, nem a dor, nem a necessidade. Não sofri. Até as duas semanas atrás, de fato, não havia sofrido tampouco a perda de nada significativo para mim.  Foi então que senti pela primeira vez em minha vida a perda de algo com significado, de algo que me importava. Perdi a meu primeiro familiar, minha avó. Ninguém da família pode dizer que tenha sido uma surpresa. Noventa e três anos, sem ter nenhuma doença diagnosticada, dão para deixar um espaço à dúvida sobre o que pudesse acontecer cada dia ao amanhecer, ou ao anoitecer, ou em qualquer instante. Em definitivo, teve lugar a consequência lógica de todo um processo vital. O resultado mesmo da vida, e ao que nos conduz, à morte. Todos da família sentimos esse acontecimento. Meu pai e meu tio, homens maduros, com os cabelos embranquecidos, se sentiram órfãos pela primeira vez em suas vidas. Todos prefeririam seguir com ela ao lado, mas todos sabem da impossibilidade de cumprir esse desejo.
A caixa mágica